Pages

sábado, 25 de dezembro de 2010

Various - Les Dix Commandements [Bande Originale - Version Simple] 2001

Eu sempre escolho para esse mês, músicas relacionadas ao inverno, ao natal, apesar de não ser cristão, mas deixo-me levar pelo clima de festas tradicionais e disponibilizo algo relacionado, nem que seja pelo menos uma das postagens. Como dezembro já está acabando e 2010 ficando pra trás, vou fazer uma postagem final que termina 2010 com chave de ouro :-) Eu ouvi falar do Les Dix Commandements por causa da tal fita de clipes, lembram? Graças à ela, descobri vários artistas que preencheram meu vazio de referenciais culturais, ainda existente naquela época. Hoje temos internet, meio mais rápido e eficaz de conhecermos o mundo francófono dentre tantos outros, supre com competentemente essa necessidade, pelo menos para uma parte, do público, porém julgo que a presença mais constante dos artistas francófonos, de programas voltados para tal fim, nos ajudaria mais e mais, sem falar é claro na divulgação do idioma francês.
Falando um pouco da obra que os apresento, "Les Dix Commandements" ou Os Dez Mandamentos em português, é um musical francês, estrelado pela primeira vez em outubro de 2000, na Cidade Luz.
Fruto da parceria entre Pascal Obispo e Élie Chouraqui, Les Dix Commandements conta a história do povo Hebreu (judeu) e de um de seus representantes mais conhecidos, Moisés, claro que outros aspectos que cercam essa história são narrados: como a fulga do povo hebreu, sua libertação do Egito e da soberania malévola do Faraó Ramsès, a providência divina, enfim, tudo conectado à uma temática maior. Porém que fique claro que não postei esse disco aqui por esses motivos, mas pela qualidade da obra e pela sua capacidade de emocionar. Antes de postá-lo coletei algumas informações básicas e a opinião do povo além mar, muitos gostaram dessa produção, mas, vi que outros tantos, na França, não apreciaram a obra. Uma pena. Aklgun criticaram o fato da produção ser do Pascal Obispo, acho que por ser tão conhecido, ter tantas produções e manter um estilo acabam se cansando dele e em parte perdendo a capacidade em apreiar suas produções, eu particularmente gostei muito.

Esta obra, o espetáulo musical está dividida em um primeiro 1ºAto, contendo 18 passagens e um 2º Ato, contendo 14 passagens, descritas a seguir: Les prières du monde - La massacre - Je laisse à l'abandon - Il s'appellera Moïse - Séti et son empire - Le dilemme - Désaccord - A chacun son rêve - La peine maximum - Je n'avais jamais prié - Le procès - Sans lui - Oh Moïse - Il est celui que je voulais - Celui qui va - Mais tu t'en vas - C'est ma volonté - Laisse mon peuple s'en aller - A chacun son glaive - Les 10 plaies - L'inacceptable - LIBRE - Devant la mer - Mon frère - Une raison d'espérer - Le veau d'or - Les 10 commandements - L'envie d'aimer - Final. Duas versões para a trilha sonora foram lançadas, esta que vos apresento é a versão simples, caso encontre a 2ª versão, de luxo, com dois discos e um encarte extra com referênciasi detalhadas da produção do espetáculo, posto aqui com todo prazer.
Lex dix commandemnts bande sonore originale, mesmo em sua versão simples
nos brinda com grandes e emocionantes títulos, que narram os momentos principais do espetáculo. Canções envolventes, das quais 5 cinco tiveram uma versão em single, são elas:
Apreciei esse disco o suficiente para reconhecer que Pascal Obispo e seus colaboradores tiveram potencial para produzir uma trilha sonora de qualidade sim, bons arranjos, orquestração coerente com o musical e acima de tudo, uma obra marcante pela capacidade de emocionar. A faixa La peine au maximum foi a que primeiro ouvi e me encantou de cara, vi o video clipe também e pude conferir que os mesmos que interpretavam os papeis fizeram os vocais da trilha sonora, mais uma demonstração de talento e desenvoltura. Ah, não posso esquecer de comentar sobre os vocais, belíssimos e marcantes, reforçados por letras muito bem escritas. Vocês também o constatarão assim que baixarem o disco. Justificando as 5 estrelas: simplesmente podemos julgar a obra musical por sua limitação, sendo esta mais elaboranda com instrumentação moderna, talvez algo mais próximo de uma antiguidade distante pudesse dar mais realismo ao musical, porém creio que esse formato de espetáculo demande algo mais animado, apesar de alguns falarem de seu monótona e lenta, eu me agradei bastante, forte e suave na medida certa. Aprovadíssima.


Como essa é a última postagem de 2010, quero agradecer à todos vocês seguidores e admiradores da música francófona e de meu trabalho de 'crítico e divulgador', que me incentivam com mensagens e comentários sempre. Obrigado e um 2011 muito feliz e musical pra todos nós. ^^


Baixem o disco aqui

Confiram La Peine au Maximum, linda!!!


terça-feira, 16 de novembro de 2010

Various - Greatest French Hits In Europe [2009]

Novembro terá uma única postagem também pessoal, porém acredito que irão apreciar bastante o que escolhi para vos apresentar.
Como já falei algumas vezes, sou muito fã de compilações, pois elas além de reunir grandes hits ou pelo menos um apanhado de música interessantes, as mais tocadas, mais pedidas, enfim, nos ajudam a descobrir aquele grupo, cantor, cantora, trio, que tem aquela música de que gostamos que poderá figurar certamente em nossa cdteca.
Essa compilação que vos apresento é uma reunião de grandes hits franceses que marcaram o continente europeu, e claro marcaram outros continentes também, mas que se destacaram especialmente lá. Greatest French Hits nos brinda com grandes canções de várias épocas, temos a clássica e conhecidíssima Voyage Voyage, até hits esquecidos como "Dur, Dur d'être Bébé " do menininho prodígio dos anos 90, Jordy, que ainda se encontra no mundo artístico hoje excurcionando pelo Indie/rock numa banda chamada Jordy and The Dixies.
Temos ainda "Moi...Lolita" da Alizée e a magnífica Sadeness, do projeto musical Enigma que também entrou na tracklist, parte em latim, parte em francês, essa canção foi concebida pelo engenhoso e criativo romeno naturalizado alemão, Michael Crëtu, uma prova da extensão da língua francesa, o caldeirão cultural da francofonia. Com certeza essa música não teria o mesmo impacto se fosse em inglês, acredito.
Outros sucessos que destaco são "Joe le Taxi", da Vanessa Paradis, aqui no Brasil foi interpretada pela Angélica. Desechantée também está aqui, mas em versão original interpretada pela competente Mylene Farmer, bem oitentista. France Gall, eterna e saudosa France Gall, aparece com "Ella, Elle la", a dançante "Tu es foutu," famosa no início da década de 2000 é outra música que integra esse disco, na voz da inigualável In-grid. Temos ainda a 1ª dama, Carla bruni com a suave "Quelqu'un m'a dit", só conhecida dos brasileiros em 2006 pela novela global Belíssima, mas já no mercado à 4 anos atrás e o nosso querido Laurent Voulzy que também se encontra aqui com Rockollection, hit famoso do final dos anos 70 na França, os talentosos meninos do Air com a encantadora "Cherry Blossom Girl" e para encerrar uma das minhas favoritas, "Je t'aime moi non plus" dos eternos Jeane Birkin e Serge Gainsbourg.
Algumas músicas não me agradaram, a exemplo de "Zidane Il A Tape(Coup De Boule)" por La Planche, Plastic Bertrand com Hula Hoop, muito cômica, mas cansativa, pouco cativante o que pode ser dito da infantil e sem sal "Amoureux Solitaires" com a Lio, um fiasco. ¬¬ Bem, ninguém é perfeito e nenhuma compilação é 100% agradável.
É preciso notificá-los que esta compilação não foi encontrada em nenhum site referencial de música, ao que me parece, ele diz respeito a algo produzido por fãs de música, só o encontrei para download gratuito em sites de compartilhamento. Nenhuma referência oficial da existência desse disco consegui obter, nada mesmo, nem data de lançamento, nem gravadora, absolutamente nada. Fiz uma pesquisa em sites oficias de vendas de discos e nada me foi apresentado. Ainda sim, dispensando as formalidades, essa compilação está mais que aprovada para figurar em nossas coleções. Ah vale lembrar que V.A - Greatest French Hits in Europe é uma compilação dupla, seguem abaixo o link para download e a lista de músicas que a compõem.

CD 1:

01. Jane Birkin & Serge Gainsbourg – Je T’aime (Moi Non Plus)
02. Laurent Voulzy – Rockollection
03. Lio – Amoureux Solitaires
04. Plastic Bertrand – Hula Hoop
05. Elegance – Vacances J’oublie Tout
06. Bandolero – Paris Latino
07. Gilbert Montagne – On Va S’aimer
08. Stephanie – Ouragan
09. Caroline Loeb – C’est La Ouate
10. Desireless – Voyage Voyage
11. France Gall – Ella, Elle L’a
12. Guesch Patti – Etienne
13. A Caus’ Des Garcons – A Caus’ Des Garcons
14. Vanessa Paradis – Joe Le Taxi
15. Manu Negra – King Kong Five

CD 2:

01. Enigma – Sadeness
02. Mylene Farmer – Desenchantee
03. Jordy – Dur Dur D’etre Bebe
04. Daddy K – Voulez-Vous Coucher Avec Moi
05. Khaled – Aicha
06. Sash! – Encore Une Fois
07. Manu Chao – Je Ne T’aime Plus
08. Alliance Ethnik – No Limites
09. Kelly Joyce – Vivre La Vie
10. Alizee – Moi… Lolita
11. Noir Desire – Le Vent Nous Portera
12. Yu Yu – Mon Petit Garcon
13. In-Grid – Tu Es Foutu’(Tu M’as Promis)
14. Carla Bruni – Quelqu’un M’a Dit
15. Air – Cherry Blossom Girl
16. La Planche – Zidane Il A Tape (Coup De Boule)

Baixem o CD aqui

ou aqui: Opção 1: GFHIE Opção 2: GFHIE

Créditos dos demais links para o Angelo Bianco do Zona Musical :-)

Me desculpem o arquivo ficou grande, o upei em um único arquivo pra facilitar minha vida, rs, mas tem outras opções pra vcs e afinal o que são 170 MB não é? ;-)

Vídeo de uma das músicas dessa Coletânea: Kelly Joyce - Vivre La Vie, um nome poderoso da música francesa atual que também está em Greatest French Hits in Europe. Essa Música foi um grande Hit em 2001 e ao ouvi-la vocês entenderão porque alcançou esse posto. Com certeza a Kelly Joice estará aqui em outra ocasião, música fantástica!



quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Stromae - Cheese [2010]

Selecionei para outubro um dos artistas que considero revelação em 2010, Stromae (no verlan, linguagem vulgar usada especialmente pelos jovens franceses, significa maestro). Acredito que este artista deu um verdadeiro 'Up' no francês esse ano. E o interessante é que o vi disponível para baixar em um site que uso como referência para muita música francófona que acaba vindo parar aqui. Deixe-me contar como o descobri. Em uma de minhas visitas a esse mesmo site, eu me deparo com uma capa de cd, nela está um rapaz caricato, com aparência miscigenada (etnicamente falando, ele é realmente estranho, não entendam isso como racismo por favor) e com um figurino típico dos anos 50 eu diria. Uma figura exótica, extremamente magro, mas bem carismático e com uma voz inconfundível, então eu decidi baixá-lo, baixei o cd desse dito cujo 'caricato' e algum tempo depois me dignei a ouvir, e não é que me agradou de cara, digo, de ouvido.
Antes de falar de sua obra eu preciso contar a vocês quem é o Stromae. Seu nome verdadeiro é Paul Van Haver e ele nasceu em Bruxelas em 12 de março de 1985 . Seu pai é ruandense e sua mãe belga, o contato com seu genitor deu-se apenas 3 vezes em sua vida, o que demonstra uma vida familiar desestruturada, aos 11 anos ele já demonstrava interesse pela música e mais tarde passou a frequentar a Académie Musicale de Jette, estudando história da música e bateria. Ele começou a excursionar pelo mundo da música como happer, com um nome parecido com o hoje, Opmaestro. Porém, esse mesmo nome foi invertido e editado, resultando em Stromae. Em seguida, aos 18 anos, ele fundou um grupo de rap chamado Suspicion, junto com o rapper Jedi, em Eichof, mas este projeto também não foi adiante e a dupla se desfez. Estudar na Europa não é tão fácil, e custear os estudos foi um tarefa difícil para o Stromae, que acabou realizando outros trabalhos para mantê-los.
Lançar seu primeiro disco só foi possível quando este deu entrada no Institut National de Radioélectricité et Cinématographie, onde produziu seu primeiro EP, "Juste Un Cerveau, Un Flow, Un Fond Et Un Mic…", em 2007. No ano seguinte, ele finalmente consegue assinar contrato com duas gravadoras, a "Because Music" e a "Kilomaître" e passa à produzir músicas para outros artistas.
As mudanças em sua carreira só começaram de verdade quando começou a trabalhar na NRJ, uma das maiores rádios da Europa. O diretor da filial Belga da NRJ, Vincent Verbelen impressionou-se com a qualidade de seu trabalho, Stromae, já havia produzido o single de Alors on danse. Verbelen resolveu investir no rapaz, e divulgou a música na rádio, qual foi a resposta do público? Imediata e entusiasmante, em poucas semanas, 'alors on danse' havia se tornado nº 1 no Top belga e em seguida houve o reconhecimento de outras gravadoras, a Vertigo e a Mercury France, ambas subsidiárias da Universal passaram a distribuir a
m
úsica em suas respectivas regiões.
O alcance de Alors on danse deu-se em outros países, alcançando o top nº1, como a mais tocada, na França, Romênia, Holanda, Grécia, Alemanha, Áustria, Turquia, Suíça, Itália, Dinamarca e República Tcheca. Esta faixa
permaneceu em primeiro lugar durante várias semanas, tudo isso se deu em maio desse ano, apesar de suas primeiras exibições de darem no fim do ano de 2009. Em setembro a versão remix com o Kanie West, um dos maiores nomes da música atuai que rendeu-se ao até então desconhecido belga e produziu junto com o próprio Stromae uma faixa remix para um das versões de seu 1º single de sucesso, reconhecimento mais que bem vindo, visto a originalidade e qualidade do trabalho do Stromae. Outro single foi produzido, 'Te quiero', também com muito boa repercussão. Em 20 de setembro de 2010, Stromae é indicado para o MTV Europe Music Awards 2010, na tentativa de ganhar uma premiação regional, com Alors on danse. A cerimônia foi realizada no dia 07 de novembro em Madri. A partir de outubro, Stromae lança uma nova versão de Alors on danse, desta vez com uma orquestra sinfônica.
Seu
terceiro single foi House'llelujah remixada por Klaas. Ele também remixou Alors on danse para o especial '300 jours déjà ... concerto de solidariedade para Hervé Ghesquière e Taponier Stephane. Curioso é que em seu Facebook, o Stromae transmitiu um vídeo que traça seu percurso rumo ao estrelato.
Mas, a tão falada "alors on danse é um das 12 músicas do álbum, chamado Cheese, queijo em inglês, um mix de eletronica, hip-hop e New beat, recheado de letras divertidas, que criticam a vida cotidiana, os relacionamentos, os problemas familiares, a estressante vida urbana, enfim, tudo isso acompanhando de uma voz marcante, que mais parece falar as letras que cantá-las, harmonizadas pela criatividade de arranjos, muitos deles bem 'noventistas', aliados à mecanizações pra lá de originais, apesar de tudo partir de uma produção e idéias bem simples, nada de surpreendente, ao contrário de 'grandes nomes', que contam com produções renomadas que resultam em obras medíocres.
Cheese é um álbum que se destaca em meio à falta de originalidade e criatividade da nova geração 'pop' que marca o fim da 1ª década dos anos 2000, apresentando uma salada desengonçada de um monte de repetições e fracas idéias. É decepcionante esse 'status quo' dos dias atuais, que concede a adolescentes caricatos, loirinhas fanhas, ( me desculpem as loiras), e palhaços(as) fantasiados(as) aplausos, prêmios e reconhecimento à sua arte musical de qualidade duvidosa, muitas vezes inaudível. Me desculpem, mas a democracia me permite tais comentários sinceros ¬¬, muitos me odiarão, mas, prefiro ser sincero que calar-me diante do caos cultural que vivemos, rs.
Do cheese, vou destacar além de' Alors on danse', 'Peace or violence', 'Rail de musique' et 'Dodo,' que apesar da batida alegrinha, marca pela sinceridade ao falar da violência doméstica, tocante. Não gostei da faixa homônima, Cheese, um tanto macabra e triste, destoando um pouco do resto do disco, mas tem uma mensagem marcante.
Essa versão que vos apresento contem 12 faixas, aprimeira versão do disco saiu com apenas 11. No caso desta, a última faixa é um bônus, um remix em ritmo de anos 90 de Alors on danse, contagiante por sinal. Ah, não posso deixar de mencionar que o Stromae tem uns vídeos bem interessantes onde ele ensina a produzir música e comenta sobre suas próprias produções, procurem no Youtube que vocês porão em prática vossa capacidade de compreensão oral da língua francesa. Dancei muito ao som desse disco ( e ainda vou dançar muito mais) e espero que ele vos traga tanta alegria quanto trouxe para mim.
Se quiserem saber mais sobre o Stromae, visitem seu Twitter e My Space: http://www.myspace.com/stromae/ - http://twitter.com/StromaeOfficial/
à Tout à l'heure :-)



O CD do Stromae estará disponível num link dentro dos
comentários dessa postagem. Infelizmente o link foi detectado pela DCMA já com a marca de 618 downloads efetuados e tive de retirá-lo, pois eles descobriram meu link, um novo link está disponível nos comentários. Abraços a todos.

'Alors on danse' pra vocês conferir:


sábado, 25 de setembro de 2010

La Grande Sophie - Et si c'était moi [2003] [Bonus Unplugged]

Um disco memorável, um rock muito bem feito, uma voz jovem e músicas empolgantes! Poxa vida que disco viu! E como sempre digo, rock não está em minhas preferências iniciais, mas esse disco com certeza fica na minha Cdteca, escutei-o todo, bem como poucos discos conseguem minha atenção, não é a toa que este álbum rendeu à La Grande Sophie o prêmio "Victoires de la Musique em 2004". Essa nova versão foi um re-release, relançamento do disco no ano seguinte de seu lançamento original, 2004, contendo 3 faixas bônus (15. Du courage, 16. Rien que nous au monde e 17. Sa petite volonté) e eu comprei pra mim, pois queria muito, muito mesmo esse disco da Grande Sophie, merci Amazon :-). Resolvi repostar esse disco porque gosto muito dele e não podia deixar passar a chance de postar algo que é raro de achar.
Um pouquinho da história da Grande Sophie: Francesa de Marseille, ela
nasceu em Port-de-Bouc em 18 de julho de 1969, enveredando muito cedo pelo caminho da música, montando com 13 anos sua primeira banda, junto com o irmão e um vizinho, sempre demonstrando afeto pela guitarra. Ela foi a precursora do estilo musical chamado "Kitchen-music", movimento dos anos 90 que considerava a atividade musical como uma tarefa qualquer do dia-à-dia.Apesar de ter começado cedo la Grande Sophie só foi descoberta tardiamente, tocando em bares e pequenas casas de show, lançando seu 1º disco em 96, escursionando sempre por pequenos espaços, cobrindo a cena pop-rock underground francesa, demonstrando sempre talento porém só a partir dos anos 2000 ela conseguiu a notoriedade e reconhecimento merecidos, ao assinar contrato com a poderosa Sony Music, tendo seu novo album produzido por gente de peso como Phill Délire, colaborador do Noir désir e Alain Bashung. Em 2001 é lançado seu segundo disco, Le Porte-Bonheur vendendo mais de 30 000 exemplares, graças ao notório sucesso da música Martin, que impõe o estilo da artista, as vezes forte, poderoso e também sofisticado e feminino.Enquanto que admiradora da música anlgo-saxônica, incorpora às suas um mix de coerência em universos completos, desenhando retratos da condição humana. Estando sempre presente na cena alternativa da França, em festivais país adentro, ela acaba por lançar seu terceiro disco, Et si c'était moi de 2003, promovendo em seguida uma grande turnê da Grande Sophie. Em 2005 ela fatura o Victoires de la Musique como "Révélation scène de l'année". A primeira vez que escutei La Grande Sophie, tenho de admitir, que não gostei muito, mas assim que ouvi esse disco nossa!! foi uma experiência muito pra lá de proveitosa, sendo conduzido por um pop-rock, mesclado com um toque de reggae que sinceramente me conquistou, músicas marcantes como Du courage, Ma première ride e Le roi des tourbillons, sim senhor, que disco cheio de sentimento, que me leva a momentos do passado, pois tem algo de novo e algo que lembra o passado mesmo que eu não o tenha ouvido antes, apesar disso é bem original, marcante, cheio de bons arranjos que qualificam cada música tornando-a única, não achei nenhuma 100% ruim como acontece em muitos álbuns, por isso ela se chama La Grande Sophie, um verdadeiro achado! O curioso é que eu comprei sem nem saber que era uma versão com músicas bônus, presentão viu, todas as faixas são em versão acústicas, ficaram ótimas, um bônus imperdível!!.


Querem ouvi-la integralmente, peguem o link pra download aqui
Essa versão foi upada por mim mesmo e já vem com o encarte completo ^^

É um prazer compartilhar com vocês.
Quero agradecer ao apoio do leitores do blog ;-)
C'est tout!

Clipe da Música Du courage, mais uma música nova: Quelqu'un d'autre, pelo vídeo estar com mto boa qualidade resolvi postar, mas essa 2º música não se encontra neste álbum.


quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Jalane - Jalane [2002]

É interessante que quando estamos predestinados a algo, biológica, psicológica, cultural ou 'sentimentalmente' as coisas acontecem. Estar ligado à cultura estrangeira sempre foi meu forte, por mais que eu quisesse me integrar a cultura local, sempre meus instintos me levavam a algo além das fronteiras geográficas, foi assim que sempre descobri gente nova no mundo mundial da música e novos estilos musicais que a maioria das pessoas ao meu redor nem sonhava que existisse.
Descobri essa artista assim, num vídeo da TV5, boa e velha TV5, numa das salas da central de línguas na Universidade que transmitia o canal francês a todos os alunos e professores. De repente aquela bela moça loira cantando uma música completamente distante do estereótipo que normalmente as pessoas tem da música francesa, modéstia a parte, estou aos poucos ajudando a mudar esse conceito e fico feliz por isso.
Ah, a jovem e bela cantora chamava-se Jalane e cantava uma música contagiante
chamada 'Ma Musique', nossa, quem é? Que música legal, dançante ambientada em um vídeo clipe moderno, onde consigo o cd dela, aí estava o problema, até pouco tempo, mas chego nessa parte depois. Bem, continuando, deixei a curiosidade alcançar o meio virtual já existente, apenas algumas faixas consegui baixar, mas não tinha onde gravar, início dos anos 2000, computador com gravador de CD era algo raro, então me contentava em ouvir no pc. O tempo passou, a internet evoluiu, mas nunca consegui achar um cd dela inteiro pra baixar. Deixei passar até que decidi comprar, achei onde e aqui está ele pra vocês meus queridos leitores. Isso mesmo comprei, sabem onde? Amazon,com, por um preço incrivelmente bom.
Vamos falar da Jalane, ça va? Bem, ela é considerada, pelo menos era a Princesa do R'n'B e seu 1º disco, este que vos apresento, teve considerável aceitação do público, principalmente por sua voz encantadora e sua real ligação com a soul music, aspectos que a tornam especial, não mais uma 'loira bonita e gostosa' que aparece pra ganhar muito dinheiro
e fama, até porque suas letras tem conteúdo e sua música tem personalidade própria o que falta a muitas artistas do gênero. Ela é francesa, nascida em Paris em 20 de outubro de 1975, seu nome real é Géraldine Plaut, Jalane é um nome artístico que surgiu em homenagem a seu tio, Alan Shelly, renomado na região do Caribe, já falecido. Sua carreira começou como dançarina e backing vocal da banda Les Kings du Swing, em meados dos anos 90 ela inicia sua carreira como cantora, com o lançamentos de dois singles, em 96 e 97, mas o sucesso só veio tempos depois. Jalane sempre quis mais do que seguir outros e criou seu próprio estilo musical, ganhou reconhecimento junto ao coletivo IAM com sua participação na trilha sonora do filme Taxi em 2000, ai as coisas aconteceram. Em maio de 2001 ela lança o 1º primeiro single daquele que seria seu primeiro disco, auto-intitulado Jalane, Femmes (cette fois je sais) que lhe rendeu reconhecimento imediato, no ano seguinte saem mais dois single, Ma musique, música que conheci primeiro e Où va le monde, com participação da Diam's, dois hits muito calorosos e instigantes. O cd foi bem recebido Ma musique estourou nos charts franceses e o reconhecimento do grande público veio finalmente.
Apesar de sua imagem comercial, o que muitos vão julgar como alguém que produz música sem qualidade, esconde um verdadeiro potencial artístico. Nesse álbum
encontramos várias e importantes participaçõpes Ben-J, Quentin (compositor em algumas faixas junto a Jalane como em "Ange Eternel"), também temos: Pit, Jimmy Finger, produtor de "Où va le monde "), o dueto já citado com a Diam's em "Où va le monde ", Nubi de Futuristiq, convidado em" Tout est claire ". Duas outras participações fundamentais no disco são K-reen e China, elas estão em uma das fotos do encarte com a Jalane, muito boas essas duas, colaboram divinamente.
Se o disco nos permite ouvir uma sonoridade bem produzida (entre estúdio e ao vivo), ele também deve ser considerado em termos de letras: Jalane junto com Diam's escreve sobre o amor, mas também o caos do planeta, o consumo exagerado de cigarro, alimentos e sexo, e o problema de uma menina branca rejeitada pelo pai só porque está esperando um filho de um homem de cor. Com certeza um álbum pop e hip-hop, nascido da fusão de um filho dos Corons (ver definição aqui) com uma criança dos subúrbios, essa ultima consideração foi retirada de um texto de crítico de música que definiu bem a alma do disco, achei interessante inserir aqui. Uma mistura envolvente de romantismo, ao mesmo tempo de furor dançante e sofisticação nos ritmos e produção musical. Recomendo. Visitem seu My Space: http://www.myspace.com/jalanemusic, lá tem música de seu mais novo disco, em breve ele estará aqui. Ah e como consegui esse disco pra postar aqui, visto que é impossível achá-lo gratuitamente na net pra baixar. Achei o disco pra compra via uol megastore, mas ficava mais barato comprá-lo no exterior, e o fiz, Comprei-o, via amazon, curti muito, aqui está ele pra vocês.


Baixem o CD da Jalane aqui

Ma musique pra vocês animarem-se um pouco:


sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Zazie - Un point c'est toi [single] [1996]

Eu sou suspeito a falar da Zazie, nossa primeira postagem de setembro, tudo que já ouvi dela me agradou, sensibilidade, produção, voz, letras, enfim, ela é uma artista inigualável. Escolhi uma de suas canções mais conhecidas e polêmicas porque gosto muito dela, não pelo clip que a promoveu, apesar de bem bolado, mas pela musicalidade, ritmo e arranjos e pela letra, bem inteligente. Un point c'est toi é o 3º single do album Zen, segundo disco da Zazie e consolidação de sua carreira. Essa música foi a primeira da Zazie que ouvi e vi, rs, um amigo que era aluno do curso de francês da extensão me mostrou o vídeo dessa canção, fiquei pasme com as cenas sensuais e insinuantes, mas a música era muito boa, digo, continua sendo, mas ai eu deixei pra lá, pois não tinha o cd em mãos, nem onde ouvir visto que esse material ainda era pouco acessível via 'download grátis ilegal'. Esse single tem 3 versões, sendo duas contendo apenas a música tema e uma terceira contendo 2 faixas, Un point c'est toi e Au diable nos adieux ambas músicas tem produção de Zazie e Vincent -Marie Bouvot, mas foram escritas por nossa artista. A foto do disco foi feita por Antoine Le Grand muito bem feita por sinal, Zazie sentada em uma cadeira virada posicionada com o encosto pra frente em uma pequena sala, com cortinas floridas em tons pasteis, avermelhados e marrons, parte da imagem encontra-se em meia sombra, acho que desejavam mostrar a sensualidade do clip e da música em si através dessa foto. Muito criativa e nada vulgar.
'Un point c'est toi' fala do homem que Zazie deseja, nú, sem artifícios ou modismos, sem a imposição estética social, mas essa música é controversa, o vídeo revelaria a fantasia que muitas mulheres tem em ver dois homens juntos? Assim como os homens possuem o mesmo desejo em relação às mulheres? Ou ela mostra que gosta de um homem que prefere outro? Busquei varias leituras dessa música pra me ajudar a entendê-la melhor, mas confesso-lhes que fiquei na dúvida. A faixa seguinte, Au diable nos adieux fala de desilusão religiosa, de fé, de alguém que se importa apenas com uma pessoa e deixou os ídolos religiosos de lado, ao diabo nosso adeus representa para mim o quebrar de correntes, sem mais crenças em deuses e outras criaturas, apenas o amor por quem posso ver e ouvir. Muito intrigante essa letra, eu achei muito inteligente. Zazie, Je t'adore :-) e espero que vocês gostem também.


Baixem o single aqui


O tão comentado vídeo para vocês conferir: Advirto quanto a assistirem-no, existem cenas sensuais da zazie com um dos modelos e nudez masculina, além de um beijo entre os dois modelos. Se isso vos ofender não assistam, ok?


Zazie - Un Point C'est Toi
Enviado por mado88

domingo, 15 de agosto de 2010

Françoise Hardy - The Vogue Years [2001]

Devido aos atrasos constantes, decidi que agosto, mês do desgosto, rs, terá apenas uma postagem ok? Porém não desanimem, selecionem alguém especial para representar o mês. Monsieurs et Madames, Je vous présente mademoiselle Françoise Hardy.
E muitos, especialmente os mais jovens, dirão, quem é? Simples, um dos maiores nomes da música francesa em uma das melhores compilações de sua história musical, apreendendo as canções produzidas nos anos 60. É difícil, gosto sempre de dizer isso, decidir o que postar aqui. Eu lamento que os muitos pedidos não possam ser atendidos de imediato, mas faço o que é possível. Bem, vamos falar de Vogue Years. Essa compilação britânica foi lançada em 19 de janeiro de 2001 pela Camden International em referência à seus anos na Gravadora francesa Vogue e nos brinda com maravilhosas e emocionantes canções, tão pouco comum em artistas jovens que muitas vezes possuem letras e produções medíocres.
Sim, mas vocês podem continuar falando? "Quem é Françoise Hardy " Bem, seu nome verdadeiro é Françoise Madeleine Hardy, ela é francesa e nasceu
na Cidade Luz em 1944, em um pequeno apartamento, onde viveu com sua mãe e sua irmã. Após a termino do ensino médio ela ganha de seu pai uma guitarra e se inspira a compor canções, algum tempo depois ingressa na Sorbone, no curso de Ciências Políticas que acabou sendo mudado para Letras, porém nenhuma dessas formações foi concluída, a música revelou-se seu grande objetivo e aos 17 anos ela assina contrato com a Vogue, sua primeira gravadora. O sucesso chega com "Tout les garçons et les filles", alcançando a marca de 2 milhões de cópias vendidas. Após certo tempo na mídia, apresentando-se em palcos diversos ele para e mantem seus trabalhos voltados apenas à discografia, sem o furor de outrora. Suas canções, preferencialmente suaves e melancólicas abordam temas voltados às dúvidas de seu 'eu', interrogações e a ansiedade que os amores lhe trazem. Porém sua carreira não acabou aí, ela continua na ativa, que bom, e muito pode ser descoberto se vocês tiverem paciência via wikipedia: http://fr.wikipedia.org/wiki/Fran%C3%A7oise_Hardy, eu sei, está em francês, mas a página em português possui muito poucas referências sobre ela e vocês vão pondo o francês de vocês em dia. O disco contem 50 músicas que compreendem o período inicial da carreira da Françoise, com um encarte recheado de fotos raras e algumas informações sobre as canções e a artista. Eu gostei de várias, Dans le monde entier, L'amitié, infinitamente bela, saudosista, retrata de maneira sublime o quanto a amizade verdadeira deve ser, Il se fait é outra canção poderosa, realmente tocante, incrível pois não vivi essa época, mas a arte da Françoise tem esse poder de nos transportar até lá. Eu gostei mais das canções suaves e calmas, elas tem uma melancolia arrebatadora, a exemplo de Je changerais d'avis, continuo destacando canções como Je serais là pour toi entre tantas outras que constituem uma obra memorável como The Vogue Years. Confiram vocês também. :-)



Baixem o CD Aqui

Curtam L'Amitié, de 1965, que música viu, ah a beleza de Françoise continua, mas o frescor da juventude nos proporciona um encanto especial!!!

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Various - France: The Greatest Songs Ever [2006]

Apesar do título do disco ser em inglês, trata-se sim de uma coletânea exclusivamente francófona. Descobri esse CD no Israbox e achei interessante postá-lo aqui para encerrarmos julho.
Gosto muito e compilações pois sempre descubro gente novo ou me interesso por alguma música em especial. esta agradável coletânea de grandes nomes não pode faltar em nossa cdteca. E eis-lo aqui.
Não posso deixar de falar que uma coletânea com a responsabilidade de representar um país deve conter clássicos e isso é o que não falta. Grandes canções do século XX e XXI e grandes nomes como
Charles Trenet cantando Douce France, La môme Edith Piaf com La vie en rose, Gilbert Becaud com Et Maintenant, Charles Aznavour e Henri Salvador, com a belíssima Jardin d'Hiver, Françoise hardy com Puisque Vous Partez En Voyage e por último Les innocents com Corole, bem alegrinha e atual, uma de minhas preferidas, (descoberta graças a ele) também consta aqui, menos mal. Porém nem tudo são flores e grandes outros nomes não foram inclusos nesta coletânea, portanto incompleta. Eu sugeriria Serge Gainsbourg e ainda Jacques Brel, também esquecido, mesmo não nascidos em França, solidificaram suas carreiras lá e assumiram muito bem o papel de representantes culturais da nação, lamentável. Nomes mais recentes como a bela Patricia Kaas, não figuram aqui, suponho descuido da gravadora com os licenciamentos ou pura falta de sensibilidade? Apenas 12 músicas são impossíveis para dar a dimensão necessária à música francesa, me desculpem o exagero. Ainda sim vale dar uma conferida, o encarte com a uva não é a toa, visto que a gravadora que lançou esta compilação, A Petrol lançou outras de vários países representados todos por frutos ou legumes, bem engraçado, mas criativo. Ainda sim, aconselho a baixar esse disco, eu realmente curti descobri-lo e espero que vocês curtam também.
Gêneros:
Chanson, Easy Listening, Oldies, French pop


Confiram France: Greatest Songs Ever, baixando o CD aqui

Assistam Colore, que significa colorir, uma bela canção realmente!


domingo, 11 de julho de 2010

Stanislas - La Débâcle des Sentiments [Single] [2009]

Pegando carona na última postagem cheia de romantismo e emoções fortes, resolvi postar algo que desse continuidade, e pensei, por que não, o nosso querido e elogiado Stanislas, umas das vozes mais bonitas e músicas mais inspiradoras da atualidade francófona. Essa é umas da mais belas músicas do álbum L'Equilibre Instable [2007] e apesar do tempo de lançamento e divulgação do disco, só foi lançada como single em 19 de janeiro de 2009. Essa bela canção alcançou considerável posição nos charts 2º na França em versão física, 11º na França em versão digital e 3º na Bélgica.
La débâcle des sentiments foi gravada em duo bom o calogero e ficou realmente emocionante. O título significa literalmente 'o rompimento dos sentimentos' e fala das idas e vindas do amor, dos relacionamentos. O amor é um campo de batalha onde travamos uma guerra constante, mas ai ele propõe um fim ao conflito e que se assine um acordo de paz. A instrumentação ficou perfeita, o piano, as guitarras que dão o climax, a voz dos intérpretes melodiosas e intensas formam um conjunto todo harmônico bastante agradável. O Stanislas fez uma excelente escolha para single, essa faixa emociona, tem um "q" de recomeço, de fim das dores de cabeça e começo de uma brisa suave. Eu recomendo. A outra faixa desse single, é a música l'hiver, mais suave, um tanto melancólica e fala justamente das impressões do artista acerca dessa estação do ano, tão cruel em terras européias, e uma pquena declaração a sua amada é feita. Uma curiosidade, sobre esse single aparentemente ela seria o 1º single pra divulgação do álbum, visto ser essa a principal razão da existência desse formato, a faixa saiu em 24 de outubro de 2007 nas rádios e em março do ano seguinte estava disponível pra download, seria obviamente o 1º single. Porém foi cancelada e Le Manège ganhou o título de 1º single. Na segunda edição do álbum que foi gravado em 2007, duas versões da canção aparecem: a versão em dueto e uma versão solo apenas com o Stanislas. Como recompensa por sua popularidade, a música e o vídeo clipe de Débâcle des sentiments ( ambientado na mesma cor do encarte do single em um programa de perguntas e respostas) foram incluídas na famosa compilação NRJ Music Awards 2009 em versão dupla.



Baixe o CD Aqui


Aqui o Clip de La débâcle des Sentiments:


sexta-feira, 9 de julho de 2010

Various - Les Plus Beaux Duos [2003]

Coletâneas são sempre um jeito interessante de descobrir novos nomes e coisas novas de artistas consagrados ou não. Les plus beaux duos não foge à regra e nos brinda com excepcionais duetos musicais da língua francesa. Quando baixei o disco fiquei super empolgado e realmente fiz uma feliz aquisição :-)
Les Plus Beaux Duo é uma realização da EMI junto com Chérie.FM, rádio francesa especializada em hits da atualidade, que abrange um grande número de artistas contemporâneos em sua tracklist.Foi lançada em novembro de 2002 com os hits do momento, naquela época e durante minhas andanças pela net consegui baixá-la.
E o que temos de tão especial nesta compilação: Simplesmente algumas das melhores interpretações em duo da história recente da música francófona. Algumas faixas são em inglês, o que lamentei inicialmente, mas diante da quantidade de artistas francófonos, não podia deixar passar essa produção do público do Música Francófona. Citando alguns nomes temos, Somethin' Stupid com a Nicole Kidman e o Robbie William, Don'T Give Up com Kate Bush & Peter Gabriel e Precious Thing com Dee Dee Bridgewater & Ray Charles. Entre os francófonos, maioria no disco, temos grandes duetos que exploram temas referentes ao amor como em Aimer, nas vozes de Damien Sargue e Cecilia Cara e Sous Le Vent, interpretada por Céline Dion & Garou, música forte e intensa que conquista o ouvinte de primeira e com ceretza faria sucesso em alguma novela brasileira. Outras boas escolhas foram 'Tu trouveras' da Natasha St-Pier & Pascal Obispo, Comme un boomerang nas vozes de Etiene Daho e Dani, ainda temos Vivo per lei com Helene Segara & Bruno Pelletier, Axel Bauer & Zazie com à ma place e minha favorita L'air du Temps, muitíssimo bem interpretada pela Cecilia Cara & o Florent Pagny que me surpreenderam na interpretação dessa bela canção. Quase todos os duetos envolvem um homem e uma mulher, mas temos algumas excessões como I Muvrini & Sting , interpretando uma versão de Fields of Gold da saudosa Eva Cassidy. Grandes momentos da música que nos fazem verdadeiramente ir às nuvens!


Baixem o disco aqui

E aqui a belíssima L'air du temps pra vocês conferirem! :-)

terça-feira, 22 de junho de 2010

L5 - Une Etincelle [maxi single] [2002]

Salut les gars!!! :-)
E vamos nós findando junho finalmente e muito bem, diga-se de passagem. Eu queria fechar com chave de ouro e finalmente consegui me decidir por algo. essa música que escolhi para vos apresentar é outra que marcou muito, a ouvi pela primeira vez entre 2002 e 2003, internet ainda era algo raro pra maioria e eu buscando o que baixar pedi que um conhecido conseguisse pra mim algumas músicas e gravasse em CD, eram músicas várias ouvidas uma única vez e sem muito tempo, visto que computador era algo distante pra mim e usava o da universidade estava findando o curso e descobrindo a música moderna francesa, daquele jeito, difícil, sem muitos conhecimentos de gravação, de pesquisa, onde baixar, essas coisas e mais sem internet em casa, sem acesso a gravadores facilmente e muito mais e o pior era aquela sensação de que como futuro professor, visto que eu ainda estava terminando o curso não tinha muita perspectiva pra descobrir mais, pelo menos sabia que as coisas iam ser difíceis.
A maioria das pessoas se surpreende com o que descobre aqui, e eu fico muito feliz por isso :-), essa mesma sensação eu tive quando via ou assistia as novidades da França, eu sentia falta de algo novo e infelizmente não podia ter aquela atualização sempre, a internet sem sombra de dúvida facilitou esse processo. As meninas do L5 fizeram muito sucesso no início da década, hoje o grupo está desfeito, mas deixou saudades e como um desses saudosistas resolvi postá-las aqui e apresentar uma canção que gosto em especial. Quando a ouvi pela 1ª vez nem sabia que era delas, fuçando o YouTube humm surpresa achei o clip em ótima qualidade e foi 'postagem' na certa. Une etincelle em português significa 'Uma faísca' e fala de incerteza, deos medos que nos afligem, mas que sempre resta uma esperança, uma faísca se ascende. O single dessa música vendeu cerca de 250.000 cópias e é o terceiro do álbum O clip é predominantemente branco, com as integrantes do grupo vestidas da mesma cor em um cenário claro e relembram momentos da infãncia, em seguida elas passam a um belo cenário de paisagem florida e se despedem de crianças, suas correspondentes infantis, podemos ver essa alusão dà infância e recordações visto que para a versão do que lhes apresento a produção do L5 usou fotos antigas das garotas na capa do single, apenas de uma outra versão com as meninas vestidas de branco e com logomarca do grupo em cima da imagem das meninas. A outra faixa desse single é Les 5 Branches d'une étoile, bem pop, calminha, com um violão ao fundo bem harmônico, além claro das inserções eletrônicas que dão aquele ar alegre, também abordando o tema da amizade. Mais informações das L5 aqui: http://fr.wikipedia.org/wiki/L5_%28groupe%29 Informações em francês galera pra vcs começarem a ler no idioma, ehehehe, 1 abraço a todos e grato pela visita.


Baixem o cd
aqui

Assistam o clip de 'Une Etincelle', muito bonito.


Kate Ryan - French Connection [2009]

E vamos que vamos com a conexão musical francófona que muito temos a fazer. bem pessoal, meio difícil decidir o que postar mas acabei me agradando do clima causado pela postagem anterior da In-grid e decidi continuar nesse ritmo, e selecionei uma belga dessa vez para ilustrar nosso blog hoje. A Kate Ryan. Alguns de vocês devem conhece-la para outros tantos será desconhecida e nessa aproveitarão ainda mais minha postagem. :-)
Bem, confesso que não tinha planos pra ela tão cedo aqui. Me lembro que a 'conheci' de verdade pela indicação de um amigo virtual, o Charton, já tinha ouvido falar dela, mas de tanto ele insistir resolvi dar-lhe uma chance pra dita cuja, num é que gostei, rs. O que menos me empolgou inicialmente foi a voz da Kate Ryan, estranha, bem incomum, me pareceu um tanto fanha, enfim, apesar de afinada, não empolga muito, a dance music foi a melhor opção pra ela usar a voz sem causar uma impressão ruim, outro estilo com certeza não a valorizaria, rs. Ou gente não estou sendo mal, ouçam a moça e me digam ;-)
Bem, Kate Ryan é Belga, chama-se verdadeiramente Katrien Verbeek, nasceu em 22 julho de 1980 em Tessenderlo, Limbourg, Bélgica. Cresceu em família de músicos e logo aventurou-se pelos caminhos da música, sendo descoberta por um empresário do ramo que a identificou numa apresentação e a convidou para lançar um disco, em seguida tornou-se parte do grupo Melt. A carreira solo veio alguns anos depois com seu 1º disco Scream for more, o sucesso veio e em 2006 foi convidada para representar a Bélgica no concurso Eurovision, apesar de não ganhar o concurso, tal evento veio apenas para divulgar ainda mais sua imagem. Ela é conhecida por suas regravações, outro ponto negativo que poderia ser enfatizado por uns, porém que lhe rende sucesso visto que suas versões são bem divertidas e melodiosas, o que conquista o público. As versões originais de cantores de décadas anteriores são bem aceitas pelo público em novas adaptações. E o interessante é que ela canta em inglês e francês, anteriormente ela lançava apenas uma música ou outra do álbum nessa língua e algumas nos singles, visto que várias foram singles como Évidemment e Ella Elle l'a, originalmente da France Gall, relançada pela Alizée e pela Kate, mas a versão da Kate tem uma batida bem mais interessante, já a da Alizée ficou um lixozinho, rs, pareço mau? Mas é verdade, rs :-D
Bem, vamos falar do French Connection certo? Muito comercial diga-se de passagem, uma junção de músicas, uma espécie de Greatest hits francês da Kate Ryan. Uma coletânea de grandes hits repaginados, com um fundo dance, pop, trance muito bem casado que agrada qualquer pista de dança e vende bem, rende vídeos e premiações e argent, muito argent(dinheiro em francês)!!! O disco tem músicas bem produzidas capazes de conquistar o público antigo e o atual e? E funciona oras, rs. Sabem de uma coisa é disso que o povo sente falta, de música francesa (francófona) com uma roupagem interessante, com uma cara nova, animada, pra cima!!! E eu dou todo apoio e no que depender de vosso DJ (Moi même) ehehehe sempre haverá novidade aqui. Os destaques vão para as faixas Ella Elle l'a e Babacar que foi single. Désenchantée é outra canção que tá bem cotada no disco, foi sucesso de 1991 na voz da Mylène Farmer também é um título que promete, foi um dos grandes hits franceses de 2005, eu não sabia disso, tava ouvindo outros artistas nessa época. Mas Libertine, que também foi regravada da Mylène Farmer ficou muito boa, bem trance, agitadinha toda e muito, muito chiclete, ou seja, pega fácil pela melodia e refrão típicos, mas agrada, eu gostei muito.!Os hits suaves também aparecem, como Évidemment, bem lentinha, dá até pra dançar abraçadoinho ehehehehe, vou dá nota 8 pra ela. O disco tem 16 faixas, sendo que possui uma versão bônus de Voyage, Voyage da Desireless em versão acústica pelo iTunes e outras versões das faixas iniciais, Désechantée, Libertine, versões 2009 e Évidemment, em versão 2Nremix. Bem, é isso, dá pra dançar bem com esse disco, profitez!!!! :-)


Voilà pessoal, o link para vocês baixarem o French Connection :-) Baixem, já em o encarte dentro, eu mesmo upei, estou orgulhoso rs Aqui

Vídeo da música Désenchantée, hit que a tornou conhecida na França.




terça-feira, 15 de junho de 2010

In-grid - Passion [2010]

Oi gente, resolvi dar uma animada e postar algo pra levantar o astral do blog e escolhi uma velha conhecida da maioria de vocês nossa cara franco-italiana a Ingrid, aquela do Hit "Tu es foutu", rs. Bem esse é o seu trabalho mais recente, o 4º disco de sua carreira e se chama Passion, trazendo 14 divertidas faixas e um encarte/ capa pra lá de irreverente, bem à la Ingrid. Confesso que quando comecei a ouvir não me empolguei muito, em especial pela quase ausência total dos acordeões, bem típicos de hits anteriores, mas ainda sim o disco tem uma cara bem agradável e vai nos conquistando pouco à pouco. A mistura do italiano nos traços e no jeito de ser e da sofisticação do francês nas letras dão um toque todo especial a seu trabalho, acho que ela não faria o mesmo sucesso caso cantasse em inglês, tão simples e repetitivo. O que prova que as pessoas querem um pouco mais de diversidade. As canções principais do disco são Les fous e Le Dragueur, A 1ª é uma electro-house com toques aéreos de sintetizadores bem divertida, ambientada parte em desenho animado e parte in Live com imagens da Riviera francesa, um luxo! E em seguida temos o single seguinte, Le dragueur, desta vez com influência da house e toques do acordeon tão desejado pelos fãs da In-grid, esses são verdadeiros Hits, duas bombas dançantes capazes de animar qualquer festa!!! Mas outros títulos merecem destaque, como Movie Star, bem luminosa e cheia de melodia marcante, eu a teria escolhido pra single, destaco também a faixa Sweet Desire, a batida é muito contagiante. Destaco ainda tu es là, ultima faixa do disco, muito muito empolgante, a batida, o ritmo, a musicalidade poderia render um quarto single viu. Porém o último single lançado foi Le swing, faixa 8, com uma capa pra lá de divertida, e claro um toque todo cinematográfico, porém achei menos comercial, quem sabe um remix rendesse mais, bem mas ainda sim é legal. Espero que fiquem bem acompanhados com nossa querida Alberini (Aka In-grid) e sua voz pra lá de agradável e marcante. Ah me antecipando vocês me perguntam por que não dei 5 estrelas para o disco, bem, algumas faixas ficaram pouco interessantes, como Le cri du coeur com o featuring de um cantor ao que me parece de origem árabe que não consegui obter mais informações, mas assim que souber edito aqui tá? Eu não quis esperar pra postar por isso fiz o comentário assim mesmo. bem em todo caso não gostei muito dela não. Depois vem Á ma façon, é a última faixa que destaco, ela ficou muito swingada, também desaprovei, meio cabaré, muito velha(aquele velha que não agrada, rs), sei lá, sabe aquela coisa meio latina demais, tipo uma salsa com uns violinos muitos harmoniosos, mas ainda sim eu dispensei, não gostei. Ainda sim o disco vale a pena ser conferido. A versão que vos posto contem apenas 14 faixas, quando estava upando vi que havia outra versão com umas 15 faixas, fiquei fulo da vida, mas resolvi deixar terminar e disponibilizar assim mesmo. Depois disponibilizo as outra faixas faltantes :-)
Abraços pessoal!!! E vida longa à musica francófona!!! Estou de volta!!


Link para o disco aqui

Clip da música Les Fous, muito bom!!!