Pages

sábado, 17 de maio de 2008

Émilie Simon - Végétal [2006]

Um dos nomes mais promissores da nova geração de interpretes franceses é esta bela jovem com cara de anjo, seu nome, Emilie Simon. Ela vem se destacando atualmente com um trabalho no mínimo inusitado.
Um pouco de sua História: Emilie foi cercada pela música bem cedo, ainda criança. O que não é de se surpreender já que seu pai era um engenheiro de som e sua mãe uma música profissional. Com três anos começou a acompanhar seus pais em excursões regulares ao estúdio de gravação ou às atuações em clubes de jazz smoke-filled. Nascida em Montpellier, sul da França, em 1979, cresceu banhada pelo calor do sol mediterrâneo e imergida no som dos clarinetes e das melodias eletrônicas que sua mãe já fascinada naquela época.
Apesar do crescer em um meio familiar razoavelmente boêmio, Emilie levou seus estudos seriamente e terminou-os com um diploma de música contemporânea. Como um adolescente, seus gostos musicais evoluíram para incluiam pop e house. A nova música que brotava alargou logo seus horizontes, é o que podemos observar em seus trabalhos.
Escutar Émilie Simon é uma experiência única e inovadora, é uma música cheia de sons e arranjos eletrônicos, incrementadas por sua voz aguda, quase infantil e envolvente. "Végétal" é seu segundo álbum e tem um perfil bem intimista, de alguém que está amadurecendo, uma cara própria, cheio de uma musicalidade que vai do rapidamente audível ao mais estranho e compassadamente rítmico, do iluminado ao mais escuro, chegando em alguns momentos a ser cinematográfica e parecer cantar em uma trilha sonora mágica e envolvente de algum filme de arte.
Podemos notar uma certa influência de certos artistas nesse trabalho, ele tem algo de Bjork, de Tori Amos, por exemplo. Nossa jovem artista não é algo fácil de se ouvir vou logo avisando, é uma flor cheia de substância, de ousadia, válida a indicação, com certeza. Com o título Végétal" ela parece sugerir inspiração em uma temática botânica, começando com a faixa 1, " Alicia", que introduz uma protagonista híbrida estranha como que fosse metade flor, metade mulher. O álbum de 50 minutos, conta com treze faixas, circundado pelas conteiros de ervas com intricadas canções tais como " Fleur de saison" a que por sinal possui um belo clip cheio de efeitos digitais onde ela encarna as quatro estações, seriam as fases da alma feminina? eheheh , " Opium" , " Dama de Lotus" , "Rose Hybride de The" e " En cendres." Os vocais de Émilie eram muito semelhantes aos de seu primeiro álbum, mas " Végétal" tem seu valor por introduzir instrumentos novos tais como flautas, percussão e violoncelos em seus arranjos. Um número de músicos experientes tais como Simon Edwards e mais uma vez, Markus Dravs que ajudou na mixagem final. Numa comutação entre francês e o inglês (por exemplo nas faixas " Le Vieil Amant" , " Swimming" e "In the Lake") como aconteceu em seu primeiro álbum, Émilie apresenta um disco bem coerente, apesar de ter lançado uma versão deste em inglês, o que tornaria desnecessário recorrer a língua do Tio San, maculando a versão francesa do disco, é uma pena. Destaco as faixas 'Alicia', 'In the Lake', 'Fleur de saison' (bem animadinha).


Link para o cd aqui

Vídeo da música Fleur de Saison(Adorei esse clip!!):


4 comentários:

Elvis "Wolvie" Rodrigues disse...

Que delícia de música essa da Émile Simon! E que video! Fazia tempo que eu não via um clipe tão criativo!
Show!!

Claro, a idéia de quatro estações não é tão diferente da de quatro elementos, mas esse clipe ficou muito bom!

Gostei da música também, batida contagiante, e voz suave. Tentado a baixar o cd, hehehe!

Ribamar Bezerra disse...

Wolvie San estava sentindo falta de seus comentários aki, q bom q gostou da Émile Simon, é massa esse cd dela, e o clip show de bola!! :-D

Francis Mary Rosa disse...

Que voz doce....gostei muito, estou conferido toda discografia! J'aime" <3

Ribamar Bezerra disse...

Que bom que curtiu cara Francis :-D
tô tentando comprar esse disco,mas é o mais salgados dela. Definitivamente ¬¬