Pages

domingo, 16 de setembro de 2012

Nolwenn Leroy - Bretonne [2010]

Eu gosto muito de muito de música celta, e para muitos que não sabem a França tem raízes celtas que remontam a séculos de história e cultura que poucos conhecem. Essa artista que vos trago hoje é a prova desse universo musical desconhecido, direto das terras da Bretanha, Nolween Leroy.
Nascida em 28 de setembro de 1982 em Saint-Renan, Finistère, Nolwenn Leroy é filha do ex-jogador de futebol profissional Jean-Luc Le Magueresse e Leroy Muriel. Viveu seus primeiros anos entre a Grã-Bretanha, incluindo Plabennec e Guingamp, Île-de-France Nord-Pas-de-Calais, de acordo com os movimentos da família. Aos 11 anos, após o divórcio de seus pais, mudou-se com sua mãe e irmã para São Kay Yorre (Allier). Segue-se então seus estudos na escola em Vichy Célestins e aprendeu o violino, além do piano e harpa.
            Em1998, ela passou um ano em Hamilton, Ohio, por meio de programa de intercâmbio internacional do Rotary Club, aprendendo falar fluentemente Inglês. Retornando à França, dedicou-se ao canto no Conservatório de Vichy.
Porém um fato curioso, antes de tentar a carreira artística, ela havia se programado para o direito anglo-americano, de início ela almejava uma carreira diplomática na ONU ou em alguma ONG, que bom que isso não aconteceu.

          Lançado em 6 de Dezembro de 2010 e tem uma reedição com sete títulos adicionais 28 de novembro de 2011. Este é um álbum dedicado à Bretanha e música celta que marcou Nolwenn, misturando canções tradicionais, a música de variedade moderna mistura à música celta. Ele inclui músicas tradicionais Bretãs, algumas dos quais foram popularizadas por Alan Stivell e Yann Tri, bem como covers de canções mais recentes e uma canção original, Je ne serai jamais ta Parisienne assinada por Christophe Miossec. Paradoxalmente, apesar de um tema e um diretório com foco na Bretanha, contudo instrumentos específicos bretãos como a gaita de foles e bombardeia estão ausentes neste álbum, o acompanhamento musical centra-se no folk tradicional irlandês e pop/rock. Certificado disco diamante  na França, Bretonne vendeu mais de um milhão cópias e fez sua intérprete receber em maio de 2012 um diamant2 disco duplo. Após a sua publicação na Alemanha, sendo bem sucedido, é lançado internacionalmente em julho de 2012.
Nolwenn nos faz redescobrir as mais belas canções de sua terra natal com esse trabalho, sinceramente difícil de decidir uma qual a melhor canção, gostei de todasmas vou destacar Tri-martolod, Brest, a melancólica Mná na h-Éireann, La Jument de Michao, Le Bagad de Lann-Bihoué. Definitivamente um disco apaixonante para quem curte cultura celta. Um regresso a casa ela se preparou durante muitos anos. Além da qualidade musical, vale salientar que esse disco é cantado em Bretão, francês, inglês contemnporâneo e medieval, além de neo-irlandês tradicional. O album conta com a poderosa colaboração(arranjos) de Jon Kelly, que produziu para grandes nomes como Paul McCartney, Kate Bush, Duffy, Heather Nova, Melody Gardot e músicos escoceses, ingleses e irlandeses.  Nolwenn traz de volta os dias de grandes canções típicas em um álbum celta tradicional cheio de brilho, muito pessoal, e pop decididamente moderno Aproveitem! Ah, antes que eu esqueça, esse disco possui uma versão de luxo com 7 faixas bônus em inglês, depois eu posto aqui ;-) Sium, não esquecendo da belíssima versão de Sunday Bloody sunday, que eu desenrolei na web, pois é faixar escondida no CD original e não veio no arquivo, essa música tem tempos e foi gravada inicialmente pelo consagrado U2, também merece destaque.
Mais sobre a Nolwenn? Aqui.
 

 Querem ouvir a Nolwenn, baixem Aqui.

La Jument de Michao pra vocês ;-)


2 comentários:

Ângela Lima disse...

Olá monsieur, gosto muito do seu blog e estou sempre por aqui. Apesar de que eu já conhecia a Nolwenn e a Pauline Croze, gostei muito que você finalmente tivesse falado delas aqui.Sempre era para eu sugerir mas esquecia. Vc já tinha falado duas vezes da Jenifer e nunca da Nolwenn ou da Élodie Frégé que tb é muito boa, na minha modesta opinião. Fiquei feliz tb por saber que vc aprecia a Nolwenn, enfim alguém com um gosto como o meu que não me deixa mais me sentir como um pato fora d'água. Continue neste caminho que vai bem.

Ribamar Bezerra disse...

Pois é Andela,
essa coisa 'do que postar' é q trabalho, porque eu costumo postar o que gosto, o que me trouxe uma impressão legal, enfim, eu nem sempre escuto tudo que baixo de imediato, vou escolhendo, vou selecionando, namoro com um disco as vezes por meses até ouví-lo completamente e degustá-lo para aí sim postar aqui. ^^
Por isso que demoro a postar os pedidos do povo q visita e curte o blog.
Agradecido pelas mensagens carinhosas. :-)